Com polêmica na escolha da capa, Pusha T lança o disco “DAYTONA”

Na última sexta-feira (25), Pusha T lançou o seu terceiro disco, DAYTONA. Anteriormente intitulado de King Push, projeto que o rapper vem trabalhando há anos, o novo projeto é inteiramente produzido por Kanye West e sai pela GOOD Music e Def Jam.

Em 2015, Pusha T lançou o disco King Push – Darkest Before Dawn: The Prelude, uma espécie de prelúdio para o projeto King Push. O terceiro projeto do rapper, DAYTONA, é o primeiro de uma série de discos que serão lançados com a produção de Kanye West, entre os outros estão: um novo disco de Kanye, um projeto colaborativo entre Kid Cudi e Kanye, um disco de Nas, e o segundo projeto de Teyana Taylor. Os anúncios de Ye deixaram a internet com os ânimos à flor da pele, mas polêmicas declarações do fundador da GOOD Music no Twitter, tiraram o foco dos lançamentos e colocaram na postura do rapper.

DAYTONA é um disco extremamente curto, é um grande ponto fora da curva no rap dos dias de hoje, onde a maioria dos artistas inflam seus álbuns e acabam perdendo qualidade devido a falta de regularidade durante os projetos. Mas em 21 minutos de projeto, Pusha T conseguiu trazer suas famosas punchlines e seus ataques aos seus principais inimigos, como Drake:

The game’s fucked up<br> Nigga’s beats is bangin’, nigga, ya hooks did it<br> The lyric pennin’ equal the Trumps winnin'<br> The bigger question is how the Russians did it<br> It was written like Nas, but it came from Quentin
― Pusha T – Infrared

Citando a polêmica dos ghostwriters de Drake, o rapper fecha o disco com porradas para todos os lados. “Infrared”, música com os ataques, ganhou uma resposta do canadense, chamada “Duppy Freestyle”. Sobrou até para Kanye West:

So if you rebuke me for workin’ with someone else on a couple of Vs<br> What do you really think of the nigga that’s makin’ your beats?<br> I’ve done things for him I thought that he never would need<br> Father had to stretch his hands out and get it from me<br> I pop style for 30 hours, then let him repeat<br> Now, you poppin’ up with the jokes, I’m dead, I’m asleep
― Drake – Duppy Freestyle

A polêmica deve durar novamente. No próximo mês, Drake lança seu novo disco, e provavelmente contará com ataques contra Pusha T – isso se o projeto já não estiver pronto.

Polêmica com a escolha da capa

Como todos sabem, Pusha T em suas letras fala bastante do tráfico. Em tempos de Clipse, ele e seu irmão Malice, narravam seus corres por Virginia Beach vendendo drogas no maior estilo Scarface. Com a ida do seu irmão para a igreja, sobrou para Push a função de contas mais histórias relacionadas a venda de drogas – esse assunto até causou pequenas zoações na rede por pessoas que falavam que o rapper só fala sobre isso.

É por isso que a escolha da capa do projeto foi um tanto representativa, quando o assunto são as drogas. Kanye West pagou 85 mil dólares pelos direitos de uma foto de um banheiro da casa de Whitney Houston em 2006. A cantora teve problemas com drogas por toda a sua vida, e a foto, retrata um momento de extremo uso de entorpecentes, na foto, você pode ver um cachimbo de craque e restos das mais variadas drogas jogadas sobre a pia.

A escolha da capa não agradou alguns familiares da cantora que faleceu em 2012. Pusha T revelou que essa não foi a imagem escolhida para a capa desde o princípio. Foi próximo ao lançamento que o rapper recebeu uma chamada de Kanye, dizendo o seguinte: “Isso é o que as pessoas precisam ver enquanto ouvem as músicas. E eu vou pagar por isso.”

DAYTONA está sendo extremamente elogiado pela crítica, com grande ênfase para a narrativa do rapper, que está afiadíssima no projeto. “Narrativa sobre as drogas extremamente brilhante,disse o jornal britânico The Guardian sobre o disco.

E você aí, já ouviu? O disco está disponível em todas as plataformas digitais – ouça abaixo no Spotify!

Deixe seu comentário!

Jhonatan Rodrigues

Fundador do Raplogia em 2011, Joe é fã incondicional de Nas, futebol, cinema e séries de TV. Se apaixonou pelo hip-hop graças aos filmes sobre a cultura e escreve há 7 anos sobre o assunto na internet. Já passou pelo Rapevolusom e foi um dos moderadores do Genius Brasil.